quarta-feira, 25 de julho de 2012

Ontem e Hoje

Por Fabio Ramos




Lugar de sapato
É pendurado
Nos fios elétricos
Pombos e restos de pipa
Completam a decoração


Bate-bola diário
No portão do vizinho
Odiado pelos demais
Alguém vai sair
Pra reclamar


A moto sem escapamento
Do mano sem emprego
Em barulho compete
Com carro tocando funk
No volume máximo


Água encanada
Na torneira do barraco
É supérfluo
Diferente do celular
Que lançaram outro dia


Sol batendo na laje
Não chega ao beco
Sempre escuro
Tão movimentado
Gíria xingamento ameaça


Desce mais uma pinga
Seu Moacir

5 comentários :

  1. Muitooo bommm, só mesmo a marvada para aliviar tanta indiferença com a vida que a seu "joão-ninguém" não lhe é alheia. Abraços mil, como eu gosto de ler tudo isso! ótima semana pra você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto mais um copo de pinga é servido, as pessoas continuam de braços cruzados (esperando a intervenção de um messias que não virá). É muito comodismo, Daniella... Muito obrigado pelas palavras! Abraços.

      Excluir
    2. Sim, é um marasmo coletivo! Valeu, abração, ótimo fim de semana.

      Excluir
  2. impossível não sentir uma pontinha d empatia por td isso...me lembra "Qdo A Maré Encher"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realidade circundante estática, imutável...

      Excluir