quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Doce mistério

Por Nana Yamada




Dentre todos os sabores
O seu é mais exótico
Não há como transcrever
O aroma desse sentimento
O rumo desse pensamento
Que se espalha por mim
Causador de meus risos à toa
Sentimento tão leve como vento
Que me faz flutuar todas as noites
Me envolvendo em nossas
Partilhas diárias
Mais que uma rotina
Já uma parte
Esse doce mistério
Que me encanta
Todas as vezes que você
Está em mim

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

aceite

Por Ana Paula Perissé




                                          daqui
                                          a 1 instante
                                          eterno


                                          escreverei símbolos


                                          quando meu
                                          amor
                                          banhar-te
                                          por
                                          inteiro


                                          (deixa-me apenas
                                          sermos.)


                                          e juntos
                                          fluidos & afectos
                                          memórias
                                          nos embalando
                                          em ritmo de lua
                                          verde


                                          aceite pois
                                          minha entrega
                                          de mulher que te aceita
                                          como tentamos ser


                                          mundanos
                                          perdidos
                                          paridos
                                          em névoa
                                          celeste


                                          mas órfãos de deuses
                                          em conjunção:


                                          aqui.

domingo, 8 de dezembro de 2019

Angústia

Por Oswaldo Antônio Begiato




(Para Niquinho, amigo de boteco)


Jaz aqui minh'alma desconsolada
Cujo corpo frágil partiu-se em muitos,
Cujo corpo partiu-se para sempre.
Jazo eu aqui, sem corpo e sem alma.


No contundente silêncio da morte
Jazem insepultos os pensamentos,
As flores semeadas pelo vento
E os vermes espertos comendo a carne.


No momento preciso foi-se a vida,
Carregando dentro dela os sonhos,
As esperanças bobas e as angústias.
Foi-se após um longo tempo de dor.


Sofrimento, deixai a morte em paz!

sábado, 7 de dezembro de 2019

Acalanto

Por Meriam Lazaro


Imagem: Dimitra Milan


Velo teu sono
de prata,
homem cheiroso
de mar...
Em meio sorriso,
já despido do dia,
no futuro
ou no passado,
estás a sonhar.
Barba
por fazer,
acomodas a cabeça
em meu colo.
Acalanto a paixão
que nos cerca,
enquanto te
entregas
ao simples gesto
de esquecer
nuvens e aço.
Mas acordo,
esfrego os olhos e vejo
que quem sonhava
era eu,
longe de ti,
em vertigem...
Mulher passarinho,
sem asas para voar.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Uvas passas

Por Mayanna Velame




Degustou um
cálice de
vinho,
apreciou
um pedaço de
panetone.
Mas
quando
se tratou de
uvas passas, essas,
ele passou...

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Te adoro

Por Nana Yamada




Te adoro
A cada instante
Isso me basta
Todos os dias
Ter motivos
Para virar a página
A cada anoitecer
E recomeçar
A cada amanhecer
Ao seu lado
Mais um dia…


Te adoro
Todas as vezes
Que sua preocupação
O transforma
Numa pessoa tão única
Que me faz
Perceber
Os mínimos detalhes
Que eu jamais
Tinha visto,
Experimentado,
Vivido…


Te adoro
Por ser o que
Não consigo explicar
Por não conseguir
Descrever o que sinto
Faz de mim
Uma criança à toa
A rir de
Cada detalhe
Que só nós vivemos
Pois você é
Autor e arquiteto
Do que vivo…

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Tagarela

Por Fabio Ramos




não
sabe


da missa


nem
a metade


(porém quer ensinar)


o padre a
rezar


(...)


não sabe do peso


daquela
cruz


(porém quer condenar)


sem
medir


a si mesmo


(...)


padre
você
não é


(padrinho também não)


e muito
menos
padrão


APESAR DA AMBIÇÃO

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Coração

Por Denise Fernandes




Coração mutilado

Na vida arruinado

Mas também lotado

De dores cansado

De amores amado



Coração lua

Girando em torno

Coração saudade

Tecendo

Outro coração