domingo, 21 de abril de 2019

sábado, 20 de abril de 2019

Sem saída

Por Meriam Lazaro




Gira o mundo
Roda viva
Giro eterno
Sem medida
Sopra o vento
No moinho
Pensamento
Nó de espinho
Fere a rosa
Procissão
Enganosa
Vinho e pão
Gira o tempo
Despedida
Sentimento
Sem saída

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Feriado

Por Mayanna Velame




Traje de banho
sobre a cama.
O Sol malcriado
decide não despertar.
O feriado assim se prolonga...
Com chuva à vista
e decepção a longo prazo.

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Palavras perdidas

Por Nana Yamada




São tantas poesias perdidas
No meio de tantas outras que ficaram
Algumas sem serem concluídas
Outras por falta de inspiração,
Muitas escritas espalhadas
Ficaram em lugares
Sem serem lembradas
Teve as que foram parar
Nas mãos de outras pessoas
Sem saber qual o destino
Foram palavras perdidas
Nas folhas carregadas
De sentimentos mais puros
Que eu poderia, então,
Ter sentido…

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Dobrar a esquina

Por Fabio Ramos




talvez


se
queira


(calçar o pé)


de
feijão


(...)


somar
os
cálculos renais


(...)


PEDIR


a
mão


dessa donzela


aos
pais
dela


(DE-CE-PA-DA)


(...)


e
então


(beber a água-viva)


antes
da


morte morrida


ou
da


ÁGUA-FURTADA

terça-feira, 16 de abril de 2019

Café

Por Denise Fernandes




lavar as roupas

coar o café

em tudo um pouco de fé



enquanto,

como disse a velha senhora,

"Cada um no seu canto,

chora seu pranto".



vai o dia

vem a noite

como um peixe

que me escapa das mãos



só coar o café

me refaz

no vinho do Islã,

a fé.

segunda-feira, 15 de abril de 2019

lacrima

Por Ana Paula Perissé


Imagem: Salvador Dalí


                                        Lacrima
                                        Suspiro
                                        Olhar no oceano.


                                        Brisa
                                        Venta
                                        Vastidão nossa.


                                        Ilhas
                                        Gérmen
                                        Imensidão a dois


                                        (ao mundo)


                                        Sonhos
                                        Cerrados
                                        Álea para passagem


                                        (nossa, nocturnal us)


                                        Pele intocada na minha
                                        Alma entranhada em duo.


                                        (falésia interrompida)

domingo, 14 de abril de 2019

Eu

Por Oswaldo Antônio Begiato




Tenho vícios redibitórios.
Nem tente me comprar,
Vai precisar devolver.


Meu coração é muito medroso.
O que minha alma tem de coragem
Meu coração tem de covardia.


Ah, se eu pudesse dividir os vícios que tenho!
Mas estou velho demais para divisões.


Melhor procurar outra mercadoria.