domingo, 26 de maio de 2019

Santidade

Por Oswaldo Antônio Begiato




Quando as palavras
não me alcançam
o silêncio me asila
com sua profundidade inimaginável.


Dentro do silêncio
encontro caminhos
que não palmilho com pés calçados,
mas com desadornos;
eles me levam à sabedoria.


É um silêncio santo.
Santo silêncio que me faz ajoelhar!

sábado, 25 de maio de 2019

Trilhos

Por Meriam Lazaro




Sobre o trilho, que vai e vem,
caldeira, memória vencida...
Maquinista dá o solavanco
d’aurora da m’a vida.
Hu... hu... hu... apita o trem!
Desperta casas e beirais,
sobe fumaça em círculos,
choram Marias e sobrais.

sexta-feira, 24 de maio de 2019

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Sem percebermos

Por Nana Yamada




Todas as noites
Me sinto mais próxima de você
A cada dia
Você faz parte do meu dia
Todas as manhãs penso na noite anterior
Das nossas conversas casuais
De algo que alimentamos
Sem saber exatamente o quê
Sinto-me tão livre
A teu lado
E, ao mesmo tempo, encontro-me
Tão presa nos seus braços
Que não consigo sentir
Tudo tão distante
Mesmo estando em mim
Você faz parte daquilo
Que estou a viver
Daquilo que brotou
Sem percebermos…

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Banho bom

Por Fabio Ramos




entrou
em


GREVE


de
banho


por
tempo
indeterminado


(...)


não
quis


ver sabonete


na
sua
frente


(e nem perfume)


um
anti
caspa


ou desodorante


(...)


entrou
na


guerra


se
coçando


e
aos
poucos


FOI PIORANDO


(...)


para
enfrentar


(a indústria da higiene)


que
deixa


todo mundo limpo


e
ainda
fatura zilhões


(...)


"QUE
ABSURDO!


VAMU
PESSOAL:


É A SUJEIRA CONTRA O CAPITAL!"


(...)


os
camaradas
na
plateia


entraram em votação


e
deram
cabo da resolução:


(segura)


o
tchan


(amarra o tchan)


no
paredão
do


LAVA RÁPIDO


e
aí é
tchan tchan tchan tchan tchan
no encardido

terça-feira, 21 de maio de 2019

Sonhos e pesadelos

Por Denise Fernandes




É incrível que uma parte da humanidade nunca lembre de seus sonhos dormindo. Eles não precisam lidar com essa outra realidade que os sonhos nos trazem.

Sempre sonhei muito, desde criança. Lembro-me de ter sonhos bons  e pesadelos também. Lembro de, na minha infância, ficar preocupada que meus pais soubessem o que eu sonhava dormindo.

A consciência de quem lembra de sonhos e pesadelos é atormentada com essa gama de sentimentos e pensamentos vividos enquanto dormem. Meus filhos também se lembram de sonhos e pesadelos. Entre nós, temos diálogos sobre sonhos e pesadelos vividos.

Lembro como achávamos divertido ver nossa cachorra "sonhando". Tentávamos adivinhar o que ela sonhava quando chorava dormindo.

Meus pesadelos e sonhos já me perturbaram muito. Quando entrei no curso de Psicologia, achei que encontraria respostas para o mundo dos sonhos. Foi desapontador perceber que tanto o curso de Psicologia, como o trabalho psicanalítico, não oferecem respostas suficientes para todas as perguntas que o mundo dos sonhos traz.

Embora Freud e Jung tenham visões diferentes sobre os sonhos, os dois parecem ter razão. Freud vê o sonho como realização do desejo. Jung o percebe como um mecanismo de equilíbrio psíquico para o sonhador.

Algumas metáforas que os sonhos produzem nos deixam perplexos. Há um tempo sonhei que o mar estava fervendo. Minha angústia, diante da força desse mar fervendo, recordo até hoje. Como interpretar? As interpretações psicológicas parecem reduzir o sonho, simplificando (ou traduzindo) aquilo que não tem tradução.

Li recentemente mais um livro a respeito. É uma obra que aborda a tentativa de induzir sonhos. Mesmo que isso seja possível, fica claro que não temos controle remoto para essa outra realidade.

O livro comenta que os sonhos dormindo são um local onde podemos encontrar pessoas que já morreram, sem sentir medo. Sinto-me consolada tendo sonhos com meu pai que faleceu há pouco tempo, e também com meu irmão. É uma sensação de encontro mesmo, de matar a saudade.

Deve ser difícil para quem não lembra de seus sonhos dormindo entender o que se passa com quem tem essa experiência. Por mais que se explique um sonho, fica faltando sua essência, sua magia, sua espiritualidade.

segunda-feira, 20 de maio de 2019

poça

Por Ana Paula Perissé




                                                    1´poça
                                                    rubra


                                                    (imensa)


                                                    jorra.


                                                    fosforeça-me,
                                                    sempre
                                                    te peço.


                                                    apenas
                                                    dolce-me.

domingo, 19 de maio de 2019